sábado, 19 de maio de 2018

Livro...

A alegria e o amor são as soluções para todos os problemas da humanidade, a confiança em dar, sem medo de perder, a entrega total ao universo, que está sempre do nosso lado e que não nos quer fazer mal.

Os nossos piores inimigos muitas vezes somos nós próprios e os pensamentos que emitimos.

Devemos aprender a controlar a nossa mente e a nossa vida antes que ela tome conta de nós.

Perdoar, esquecer, sentir, sentir até ao fundo todas as emoções que passam por nós, e não ter medo de nos mostrarmos tal como somos, já que ter máscaras é meio caminho andado para tudo correr mal e é um grande desgaste de energia absolutamente desnecessário, se bem que cada pessoa decide qual é o tempo certo para realizar mudanças na sua vida, interiores e exteriores.

Outro dos pensamentos que ultimamente formam parte do meu ser e que partilho com todo o meu amor, é que devemos aprender a usar o mínimo de energia para obter o máximo resultado, e podemos aplicar esta teoria a todos os níveis na nossa vida, no trabalho, conhecer tão bem o que fazemos e estar tão focados no que fazemos que simplesmente um pensamento bem emitido pode resolver uma situação sem necessidade de desgastar os nossos colegas, equipa, amigos etc.

Nas relações com os outros é a mesma situação. Quando conhecemos alguém, interessamo-nos por conhecê-lo melhor e saber como, com o mínimo esforço pela nossa parte e pela parte do outro, podemos desfrutar muito mais dos momentos de partilha e de convívio.

Não fechar as portas de entrada, deixar sempre um ponto de observação tal como as nossas portas em casa têm, para ver quem tocou à campainha, para ver quem está aí em frente a chamar por nós e o que ele ou ela têm para nos dizer. Cultivar a curiosidade, como motor de expansão para a nossa criatividade e como motor de expansão para a nossa imaginação. Sem sonhos não há nada feito, quem não sonha, até acordado, também está a perder um tempo precioso e uma energia fabulosa.

 Já imaginaram o que seria da humanidade sem sonhadores?

Que seria da humanidade sem curiosos que queiram ir mais além do que já se sabia até ao momento em que alguma situação despertou essa curiosidade?

A curiosidade é inata em todos os seres humanos e é uma ferramenta fantástica, tal como a criatividade, a imaginação e os sonhos. Se tomaram consciência neste momento das minhas palavras, por favor comecem a pôr tudo o que já leram até aqui em prática, já que sem prática não há mestres, sem trabalho e sem esforços não há sábios e todos nós temos um sábio cá dentro à espera de se mostrar.

E quando digo todos, digo mesmo todos, sem excepção. O simples facto de estarmos vivos é um elogio do universo a nós e uma excelente oportunidade para sentir o que ele tem para nos oferecer.

Sem comentários:

Yoga do Riso Séniores